Mudar hábitos é talvez a coisa mais difícil que podemos fazer ao longo da nossa vida.

Todos nós sabemos o que devemos fazer. Todos nós sabemos que alimentos devemos comer, que devemos fazer exercício físico, que devemos evitar fumar, que devemos ter pensamentos positivos, que devemos tratar os outros com respeito e carinho, etc etc.

Agora, tu fazes o que sabes?

Todos sabemos o certo e o errado, mas fazer… uiiii isso é outra história diferente.

Vou partilhar contigo uma pequena história. Certa vez, um profeta e o seu discípulo, em viagem, pediram pousada numa das casas que encontraram ao longo do caminho.

À hora do jantar, foi-lhes servido, como refeição, apenas um copo de leite. Era a única coisa que o dono da casa tinha para lhes dar, embora todos os que ali moravam fossem pessoas saudáveis. A terra era boa, tinha bastante área para cultivo, mas a família nada cultivava. Apenas possuiam uma vaca leiteira, de onde vinha o leite que sustentava toda a família.

De manhã, o profeta e o discípulo levantaram-se, agradeceram a hospitalidade e continuaram viagem. Mais à frente, afastada da casa, a vaca pastava à beira de um precipício.

O profeta ordenou então ao discípulo: “Vai até ali e empurra a vaca.”

O discípulo, mostrou-se relutante, mas, como obedecia ao mestre, fez o que o profeta lhe mandara e empurrou a vaca pelo precipício. A vaca morreu na queda, o que deixou o discípulo bastante incomodado.

Passodo alguns anos, o profeta e o discípulo voltaram àquela região e mais uma vez pediram guarida naquela mesma casa. Observaram diversas plantações ao redor da casa, havia animais a pastar por ali e todos se ocupavam com alguma tarefa.

À hora do jantar, foi-lhes servida uma refeição excelente, preparada com os alimentos colhidos pela própria terra e todos sentiam orgulho nisso.

Na manhã seguinte, o profeta disse então ao discípulo: “Se não tivéssemos empurrado a vaca pelo precipício, esta família jamais se teria desenvolvido, traballhando e cultivando a terra que é sua.”

Impressionante não é? Ficamos tão agarrados àquilo que fazemos diariamente ao longo da nossa vida que só mesmo quando nos acontece “uma desgraça” é que abrimos os olhos e ganhamos coragem para dar um passo fora do nosso hábito.

Comigo, não foi diferente. Só quando adoeci terrívelmente é que parei. Permiti-me parar. E quando parei, equacionei a minha vida. A forma automática como vivia a vida. Ignorando coisas como: qual a minha missão aqui na terra? Qual é o meu porquê no trabalho? Que importância dou à minha relação? Que pessoa quero ser?

Foi nessa altura, na altura em que comecei a procurar resposta a estas perguntas, que percebi que a minha vida era uma repetição dia após dia. As mesmas pessoas, os mesmos comentários, as mesmas críticas, o contentamento com o que tinha, sem procurar nada mais. Tudo era igual. Havia muito tempo que não fazia nada de novo, pela primeira vez.

Foi assustador!!! Aterrador!! Se eu morresse naquele dia, o que diriam de mim?

Todas estas perguntas deram um nó na minha cabeça e levaram-me a fazer coisas novas para sair de onde estava. A primeira escolha foi voltar a estudar. E todo um novo caminho se iniciou à minha frente. Comecei a ver a vida com umas novas lentes.

E tu, que diriam os outros se morresses hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *